Preparemos os caminhos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Cardeal Orani João Tempesta
Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

 

A celebração do Advento é uma insubstituível pedagogia para compreender o mistério da salvação, a fim de que Jesus seja o ponto de referência não somente para sentimentos piedosos e religiosos, mas para empenhar toda a existência no anúncio e testemunho do Reino.

A expectativa vigilante e alegre caracteriza sempre o cristão e a Igreja, porque o Deus da revelação é o Deus da promessa, que manifestou em Cristo toda a sua fidelidade ao homem: “Todas as promessas de Deus encontram n’Ele o seu sim” (2Cor 1, 20). Ao realizar-se em definitivo a história das “promessas de Deus”, no fim dos tempos, aparecerá o objeto de todas essas promessas, isto é, o próprio Deus, visto e possuído em toda a riqueza da sua graça (cf. 1 Cor 13,8-12). A liturgia exprime sempre a realidade e quando, no Advento assume a esperança de Israel, o faz vivendo-a em níveis mais profundos e plenos de atuação.

A expectativa vigilante é acompanhada sempre pelo convite à alegria. O Advento é tempo de expectativa alegre porque aquilo que se espera certamente acontecerá. No Advento temos vários símbolos que nos ajudam a viver a espiritualidade desse tempo e um deles é a coroa do advento.

A Coroa de Advento tem a sua origem em uma tradição antiga europeia. No inverno, se acendiam algumas velas que representavam ao “fogo do deus sol” com a esperança de que a sua luz e o seu calor voltassem.       Essa coroa é originária dos países nórdicos (países escandinavos, Alemanha), a qual contém raízes simbólicas universais: a luz como salvação, o verde como vida e o formato redondo como eternidade. Simbolismos estes que se tornaram muito adequados ao mistério natalino cristão, e que por isso, adentraram facilmente nos países sulinos. Visto que se converteram rapidamente em mais um elemento de pedagogia cristã para expressarmos a espera de Jesus como Luz e Vida, em conjunto com outros símbolos, certamente mais importantes, como são as leituras bíblicas, os textos de oração e o repertório de cantos. Os primeiros missionários aproveitaram esta tradição para evangelizar as pessoas. Partiam de seus próprios costumes para ensinar-lhes a fé. Assim, a coroa está formada por uma grande quantidade de símbolos:

A forma circular: O círculo não tem princípio, nem fim. É sinal do amor de Deus que é eterno, sem princípio e nem fim, e, também, do nosso amor a Deus e ao próximo que nunca se deve terminar. Além disso, o círculo dá uma ideia de “elo”, de união entre Deus e as pessoas, como uma grande “Aliança”.

Os ramos verdes: Verde é a cor da esperança e da vida. Deus quer que esperemos a sua graça, o seu perdão misericordioso e a glória da vida eterna no final de nossa vida. Bênçãos que nos foram derramadas pelo Senhor Jesus, em sua primeira vinda entre nós, e que agora, com esperança renovada, aguardamos a sua consumação, na sua segunda e definitiva volta. Ao mesmo tempo, ter um ramo verde no inverno europeu é um símbolo de resistência diante das intempéries.

As quatro velas: As quatro velas da coroa simbolizam, cada uma delas, as quatro semanas do Advento. No centro do círculo se colocam as quatro velas para se acender uma a cada domingo do Advento. A luz das velas simboliza a nossa fé e nos leva à oração, e simbolizam as quatro manifestações de Cristo: 1- Encarnação, Jesus Histórico; 2- Jesus nos pobres e necessitados; 3- Jesus nos Sacramentos; 4- Parusia: segunda vinda de Jesus. No início, vemos nossa coroa sem luz e sem brilho. Recorda-nos a experiência de escuridão do pecado. A medida em que se vai aproximando o Natal, vamos ao passo das semanas do Advento, acendendo uma a uma as quatro velas representando assim a chegada, em meio de nós, do Senhor Jesus, luz do mundo, que dissipa toda escuridão, trazendo aos nossos corações a reconciliação tão esperada.

A coroa do Advento é o primeiro anúncio do Natal. É um círculo de folhagens verdes, sua forma simboliza a eternidade e sua cor representa a esperança e a vida. Vem entrelaçado por uma fita vermelha, símbolo tanto do amor de Deus por nós como também de nosso amor que aguarda com ansiedade o nascimento do Filho de Deus.

Você pode fazer uma coroa do Advento em sua casa e celebrar com sua família à luz da nossa fé a chegada de Jesus Cristo nosso Salvador. E a cada domingo ir acendendo as velas, convidando seus familiares para rezar. Aproveitar desse sinal para se reunir e rezar a novena de natal, um modo tradicional de preparar a vinda do Senhor.

Seria muito bom que em cada casa de nossa Arquidiocese façamos um esforço de providenciar uma coroa do advento: a cada semana ascendendo uma vela somos convidados a rezar a Novena do Natal, a vivenciar a récita do terço em família e a reunirmos nossos vizinhos, parentes e amigos para se prepararem com dignidade para o Natal fazendo a novena com o texto arquidiocesano que também nos prepara para o Ano Vocacional iniciando no início do Advento. No Natal se celebra o nascimento de Jesus. Seja nosso Natal um Natal com Jesus, por Jesus e em Jesus.

Vivamos intensamente o tempo do Advento e que o Cristo seja a luz a iluminar a nossa vida e que iluminados pelo Senhor que vem, que veio e que virá seja a guia de nossa vida e testemunho do seguimento cristão!

Senhor Jesus, celebrar o teu Natal é fazer da minha vida, da minha casa, um lugar de eternidade e salvação. Que a Tua luz brilhe em cada coração. Acendendo cada vela desta coroa do Advento queremos acender a esperança, o amor, a fraternidade e a Salvação que é o grande presente que queremos dar a todos que amamos por intermédio do Menino Jesus, que vai nascer em nossa família”.

 

 

Tags:

leia também