Papa Francisco e Nossa Senhora!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Dom Carlos José
Bispo de Apucarana (PR)

Por tantas vezes sentimos um grande vazio em nosso coração, como se não tivéssemos a quem recorrer nestes tempos tão difíceis, de incertezas e aflições. É normal esse sentimento de vez em quando, afinal, nossa fragilidade humana nos leva a isso. Mas, exatamente nesses momentos de aflição é que devemos nos voltar, com fé e confiança, Àquela que nos foi dada aos pés da Cruz como Mãe, Defensora, Consoladora e Auxiliadora: A Virgem Mãe de Deus e nossa Mãezinha. É preciso lembrar sempre que não somos órfãos, não estamos abandonados à nossa própria sorte, temos uma Mãe que nos defende, acalma e, constantemente, intercede por nós. Que honra termos a própria Mãe de Cristo como nossa Mãe! Apenas isso, termos a mesma Mãe, já deveria nos bastar para amá-La imensamente e a Ela recorrermos em nossas dores, pois, Ela, que teve seu coração transpassado pela dor, entende as nossas dores cotidianas e nos carrega em seus braços, como carregou o Menino Jesus e nos acolhe em seu colo, como O acolheu aos pés da Cruz. Como uma criança indefesa, que se aquieta no regaço de sua mãe, depositemos no Coração Imaculado da Virgem Maria, a Senhora de Lourdes, o nosso coração, as nossas necessidades diárias, para Dela obtermos a calma necessária para passarmos por toda essa turbulência que a pandemia nos traz.  Quando dizemos Ave Maria, cheia de Graça, estamos afirmando que Ela é plenamente repleta da Graça de Deus, cheia do Espírito Santo e, ao recitarmos a Ladainha de Nossa Senhora, complementando a oração do Santo Terço, invocando-A em seus inúmeros títulos, reconhecemos o seu poder de intercessão diante dos desafios diários, pois Ela é e sempre será a via mais segura para nos aproximarmos de Cristo. Nossa Mãe Igreja é sábia, e, constantemente nos remete a novos meios de nos aproximarmos do amor e da graça de Deus, como fez há pouco, inspirando o Santo Padre, o Papa Francisco a acrescentar novas invocações à Ladainha de Nossa Senhora. O desejo do Papa Francisco é que, em meio ao caos causado pela Pandemia do Covid-19, soe-nos como um bálsamo invocar a Santa Mãe de Deus também como ‘Mãe da Misericórdia’, ‘Mãe da Esperança’ e ‘Conforto ou ajuda dos Migrantes’. Em tempos em que a necessidade da Misericórdia Divina se faz urgente para aplacar a disseminação do Covid-19; quando a virtude da esperança parece se esfriar em nosso coração e em que tantos irmãos e irmãs se afastam de suas terras buscando novos meios de subsistência e paz para seus familiares, quem mais, a não a ser a Mãe de Deus para nos conseguir, através de seu Coração Imaculado, que nossas súplicas cheguem ao Coração do Filho? Assim, atendendo ao apelo do Papa Francisco, invoquemos a intercessão Daquela que, cheia da Graça de Deus, pode rogar a Cristo para que Ele transforme a nossa água da desesperança, do sofrimento e da indiferença cristã em vinho novo, gerando, em seu Materno e Imaculado Coração, um novo coração em cada um de nós!

 

 

 

 

Tags:

leia também