Nortão dos presbíteros: contribuições da psicologia na vocação e no discernimento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Foto: Arquidiocese de Porto Velho/Elisandra Freitas|Foto: Arquidiocese de Porto Velho/Elisandra Freitas|Foto: CRP Norte 2|Foto: CRP Norte 2|Foto: Arquidiocese de Porto Velho/Elisandra Freitas|

A cidade de Porto Velho (RO) acolhe, desde segunda-feira, dia 26, até 30 de agosto, presbíteros dos quatro regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) da região Norte do Brasil para o IV Nortão dos Presbíteros. O encontro tem como tema “Vocação e discernimento do presbítero: contribuições da Psicologia” e o lema “Mostrai-me, Senhor, os teus caminhos” (Sl 25, 4).

Segundo o coordenador da Comissão de Presbíteros do regional Noroeste da CNBB, padre Tiago Sérgio Miranda, da diocese de Ji-Paraná (RO), são 135 presbíteros que participam do evento, representando todos os estados da região Norte, além de padres do Mato Grosso.

Foto: CRP Norte 2

O Nortão foi aberto na segunda-feira com a presença de cinco bispos. Anfitrião do evento, o arcebispo de Porto Velho, dom Roque Paloschi, foi quem acolheu os participantes manifestando sua alegria de receber em sua arquidiocese tantos presbíteros oriundos das várias Igrejas particulares da região amazônica.

Contribuições da Psicologia
O assessor do encontro, padre Rosimar Dias, da arquidiocese de Cuiabá (MT), tem formação na área da Psicologia e explica que tem abordado a temática proposta tentado, em primeiro lugar, despertar os presbíteros para que, antes da vocação presbiteral, todos são vocacionados para serem cristãos e, antes disso ainda, são seres humanos.

“Então, a nossa temática vai no sentido de revisitar o nosso sermos humanos e o nosso amadurecimento humano-afetivo, o nosso amadurecimento psíquico para que possamos deixar-nos moldar pelo Senhor em bons discípulos e bons ministros do Senhor, para que a graça de Deus possa agir no nosso coração. Então, é revisitar a nossa formação humano-afetiva como parte integral do nosso ministério sacerdotal e para bem responder ao nosso chamado que o Senhor nos faz”, explica.

A contribuição que as reflexões do encontro podem oferecer aos padres da região Amazônica do Brasil dizem respeito à possibilidade de conversão, de mudança no amadurecimento do fundamento sobre o qual é construído o ministério de presbítero: “a nossa humanidade”.

“Assim, nós vamos estar mais disponíveis a estarmos com aquele povo para o qual o Senhor nos chama a pastorear, vamos estar mais disponíveis e de forma mais generosa, vamos nos entregar àquela realidade específica, no caso a realidade amazônica. Em primeiro lugar, saber ouvir, saber compreender esta realidade para que possamos então, a partir daquilo que nós encontramos, ir ali lançando as sementes do Evangelho, as sementes da proposta que Jesus nos traz que é amor, de seguirmos os valores do evangelho”, indica padre Rosimar.

Ele ressalta que a proposta para os presbíteros é, inicialmente, “trabalhar como humanos”: “Se formos bons humanos, bem trabalhados no nosso substrato humano, bem amadurecidos do ponto de vista psicológico, afetivo, nós saberemos nos colocar de forma mais generosa na realidade amazônica ou em outra realidade para a qual o Senhor nos chamar em nosso ministério”.

Tags:

leia também