Missão da Juventude

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

José Alberto Moura
Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Neste mês dedicado às missões temos a oportunidade de  refletir sobre o presente e o futuro da juventude, em meio a toda a realidade boa e ruim em relação à sua vida de saúde física, intelectual, moral e espiritual. A forte influência da mídia e das demais redes sociais nem sempre colabora com sua educação para valores e a  promoção da dignidade humana.

A boa formação do caráter começa com a família bem preparada e estruturada.   Assim há a possibilidade de formação da pessoa surgida de pais equilibrados e preparados para ensinarem, mostrarem o caminho da vida de sentido e de valores humanos e espirituais.  Então a juventude aprenderá a fazer escolhas com senso crítico e discernimento. Ao contrário, o condicionamento do meio ambiente vai estruturar a consciência das crianças, dos adolescentes e jovens para uma vida de pouco sentido realizador e existencial.

Se não se inocularem nas pessoas, desde tenra idade, a abertura para a  alteridade e a exercitação nas virtudes humanas e transcendentes, não vamos ter um futuro promissor para a realização feliz da juventude. Não basta a escolaridade, que já é muito deficitária para grande parcela da mesma. A boa escola e o investimento no ensino é preciso. Mas é necessário também haver a verdadeira educação familiar e social para o respeito ao outro, a contribuição para o uso dos carismas e oportunidades em bem da sociedade como um todo.

 A família tem sido demais esmagada pelo materialismo, hedonismo, por grande parte da mídia e pelo consumismo. A verdadeira missão humana e cristã de jovens deveria levá-los ao protagonismo de uma nova sociedade. Assim, jovem evangeliza jovem, com a convivência na solidariedade, principalmente em relação ao semelhante em situação de miséria material, moral e espiritual. A educação libertadora dos vícios e de uma vida promíscua, nas drogas e o consumismo  deve ser a verdadeira missão de ajuda à juventude. Quem já tem a graça de uma boa educação, com formação sólida com os valores que dão sustentação à missão jovem, assume seu papel de conduzir a juventude ao caminho novo da novidade de Jesus e seu Evangelho.

Jesus, abordado pelos apóstolos Tiago e João, sobre a possibilidade de eles se sentarem à esquerda e à direita no seu reino, ensina que o mais importante não é a posição de grandeza maior do que os outros e sim a de quem sabe servir os outros.  Aliás,  Ele lembra que veio para servir e não para ser servido. Precisamos ensinar e estimular a juventude a assumir essa missão de dar de si no serviço aos companheiros, ajudando-os a se perceberem importantes e grandes quando dão de si pelo bem de quem mais precisa.

Tags:

leia também