Estímulos da vida do beato Carlo Acutis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Dom Antonio de Assis Ribeiro
Bispo Auxiliar de Belém do Pará

 

Introdução

Jesus Cristo convocou seus discípulos à santidade dizendo-lhes: “sejam perfeitos como o Pai de vocês que está nos céus é perfeito” (Mt 5,48). Apresentou ainda para seus discípulos o caminho da santidade quando falou das bem-aventuranças.

As bem-aventuranças constituem o caminho proposto por Jesus para a promoção do seu Reino; quem está comprometido com a própria santidade vive uma grande paixão pelo Reino de Deus. Essa deve ser a dinâmica da vida a ser abraçada por seus discípulos.

O santo, não nasce santo. Nós nascemos inocentes, mas a santidade pressupõe amadurecimento humano e na fé. A santidade é um horizonte a ser buscado e que nos empenha por inteiro comprometendo todas as nossas dimensões.

As bem-aventuranças são a tradução do Amor, como santidade alicerçada na experiência de fé, traduzidas nas relações humanas. Por isso, a santidade é recheada de inquietude, de luta contra o comodismo, da indiferença, da insensibilidade, do egoísmo, do instinto de violência, do imediatismo, dos atalhos, da corrupção, da vingança… O Amor deve ser consistente, capaz de superar grandes provações. “O amor tudo suporta” (1Cor 13,9).

Todas as vezes que a Igreja beatifica ou canoniza alguém, está colocando-o como referência, como exemplo a ser seguido, sobretudo para aqueles mais próximos de sua dinâmica de vida. Desse modo um adolescente proclamado beato ou um jovem declarado santo, é um enorme estímulo para os adolescentes e jovens. Portanto, é digno que Carlos Acutis, seja conhecido e imitado em suas virtudes.

Carlos Acutis, beato adolescente

Carlo Acutis nasceu em Londres, capital Inglesa, no dia 3 de maio de 1991. Mas seus pais eram italianos e se chamavam André Acutis e Antônia Salzano. O menino cresceu em Milão (Itália) e não tardou em crescer num grande senso de fé, amor à Igreja e a Jesus Cristo.

A graça que recebera era tão forte, apesar dos tempos, que foi admitido à primeira comunhão com apenas sete anos de idade. Carlos trazia consigo, desde cedo, um duplo ardor espiritual, tanto aquele da contemplação (oração, pensamento ligado a Deus, amor a Jesus Cristo e à Nossa Senhora), quanto aquele da atividade missionária entre seus colegas.

Assim como nas classes alguns se destacam por diversas capacidades, o menino Carlo se destacava precocemente por suas virtudes, como a grande delicadeza para com seus pais, aplicação aos estudos, respeito aos colegas, atividade missionária, alegria, disponibilidade para ajudar quem dele precisava.

Veio a falecer no dia 12 de outubro de 2006, com apenas 15 anos de idade sendo vítima de uma grave doença, a leucemia. Foi enterrado na cidade de Assis, porque era seu desejo; no dia 23 de janeiro de 2019, seu corpo foi exumado e, devidamente tratado, e foi transferido para a Igreja de Santa Maria Maior na mesma cidade franciscana.

A abertura do processo de beatificação, em nível diocesano, aconteceu no dia 15 de fevereiro de 2013 e foi concluído o dia 24 de novembro de 2016. No dia 13 de maio de 2013 Carlos Acutis foi declarado Servo de Deus. O Papa Francisco reconhecendo suas heroicas virtudes o declarou venerável no dia 05 de julho de 2018. No dia 10 de outubro de 2020 aconteceu, em Assis, a sua beatificação pelo Papa Francisco.

Dom Bosco: conselhos para a santidade juvenil

Dom Bosco (1815-1888), grande educador da juventude, dizia para seus alunos que é fácil e necessário ser santo. A primeira dificuldade a ser enfrentada é uma grande mentira do diabo que tenta, a todo custo, incutir na cabeça dos adolescentes e jovens a ideia de que a santidade é algo distante, triste, pesado e impossível.

Por isso Dom Bosco, que foi o grande formador de São Domingos Sávio, falecido aos 14 anos de idade, começou estimular os seus jovens a buscarem a santidade através de três experiências bem práticas e possíveis. Segundo o santo dos jovens a santidade juvenil consiste em: 1) Cumprir bem os próprios deveres; 2) Ajudar os outros; 3) Estar sempre alegres.

Esses conselhos de Dom Bosco não depreciam, nem diminui a santidade, muito pelo contrário. É uma forma pedagógica de apresentação de um caminho de perfeição possível, sem coisas excepcionais, fora do nosso alcance. De fato, o santo, é alguém que, antes de tudo, cumpriu os seus deveres em todas as situações. Não há santo relaxado.

No caso de Carlos Acutis, temos o seus deveres de filho, de estudante e de bom cristão. Nesses três níveis de relacionamento temos os compromissos para com a própria família, com os colegas e a experiência de Deus através do aprofundamento da vida espiritual.

O segundo compromisso, que é ajudar os outros, é a experiência da solidariedade, da abertura e da partilha da experiência de fé. Para um jovem que está comprometido com a própria santidade a experiência da evangelização é uma necessidade. Carlos Acutis aproveitou-se da internet para evangelizar. Ele é o santo da evangelização da era digital; quanto estímulo ele nos dá!

O terceiro propósito do caminho de santidade apontado por Dom Bosco é a alegria. É que a tristeza é coisa do diabo! Deus é a fonte da nossa alegria. Por isso amá-lo e servi-lo é o máximo da experiência de paz e alegria; por outro lado, quem cumpre os próprios deveres e ajudar os outros está, consequentemente, sempre alegre. A alegria é consequência da nossa bondade (cf. Fl 4,4-8).

 Alguns estímulos de Carlos Acutis

A curta vida do beato adolescente Carlos Acutis traz consigo grandes estímulos para todos nós, crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos. As virtudes que compõem a santidade de uma pessoa não estão confinadas numa faixa etária.

  • Acutis cultivou consigo um grande amor à Eucaristia. Sua admiração por esse sacramento era tão grande que o levou a criar na internet um site sobre milagres eucarísticos acontecidos pelo mundo;
  • Tinha consigo uma grande habilidade na área da informática e colocou essa sua capacidade técnica a serviço da evangelização; ele nos estimula hoje a usar os meios de comunicação digitais para evangelizar;
  • Desde criança aprendeu a rezar o terço e cresceu num grande amor à Nossa Senhora e manifestava sua devoção através da reza do terço;
  • Após a sua primeira comunhão, uma vez que melhor compreendeu a beleza e o significado do sacramento da reconciliação, o adolescente Acutis passou a se confessar uma vez por semana;
  • Conta-se também que Acutis mantinha um grande respeito, sensibilidade e firmeza para com seus colegas estando sempre pronto a ajudar e defender os deficientes na escola quando eram zombados;
  • Acutis também nos estimula a lidar com o sofrimento com uma atitude de grande firmeza, serenidade e alegria. Certa vez, o seu médico lhe perguntou se ele estava sentindo muita dor, ele respondeu: “há pessoas que sofrem muito mais do que eu”.

PARA REFLEXÃO PESSOAL:

  1. Santo não se nasce! O que isso significa?
  2. Quais são os três conselhos de Dom Bosco para a santidade?
  3. O que mais lhe chamou a atenção na vida do beato Carlos Acutis?

Tags:

leia também