Diretor do Apostolado do Mar no Brasil fala dos desafios do trabalho no país

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Stela Maris Santos
Padre Samuel, diretor nacional do Apostolado do Mar. Fotos: Arquivo pessoal.

O padre colombiano Samuel Fonseca Torres, missionário Scalabriano que desde 2001 atua no Brasil, atualmente é diretor nacional do Apostolado do Mar e capelão do Porto de Santos, comentou a mensagem enviada pelo cardeal Peter K. A. Turkson, prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral no Vaticano, sobre o Domingo do Mar, celebrado sempre no segundo domingo do mês de julho, este ano no último dia 12.

Segundo o padre, o Apostolado do Mar tem uma sede no Vaticano e está organizado em 9 regiões no mundo. Em cada país, a organização conta com bispos promotores, diretores nacionais e os capelães voluntários e voluntárias do Apostolado do Mar. O padre Samuel representa o Apostolado do Mar do Brasil junto ao Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano  Integral do Vaticano.

No Brasil existem três missões Stella Maris, uma no Rio de Janeiro, outra no Rio Grande do Sul e a de Santos. O Apostolado do Mar tem como público alvo os marinheiros, pescadores, trabalhadores, estivadores e todas as pessoas que vivem do mar. O bispo promotor do Apostolado do Mar é o bispo emérito dom Jacyr Francisco Braido, de Santos.

Desde 2002, no 21º Congresso do Apostolado do Mar, no Rio de Janeiro, o padre Samuel foi escolhido para ser o coordenador nacional e regional para a América Latina e Caribe. “Na minha opinião isso não é um privilégio, ao contrário é um desafio em função de atuarmos numa região muita extensa”, disse. Ele chama a atenção para o fato de no Brasil ter poucos capelães, padres disponíveis e ainda poucos bispos que apoiam a causa do Apostolado do Mar.

Neste tempo que está no Brasil, o diretor nacional do Apostolado do Mar atuou como capelão em dois lugares. Por sete anos na Stella Maris do Rio de Janeiro, na paróquias Santa Cecília e São Pio X. Depois, mudou-se em 2007 para Santos (SP) onde exerce as mesmas funções. “O trabalho aqui se multiplicou nos últimos anos. Santos é o principal Porto de exportação e importação da América Latina e do Brasil”, disse.

O padre afirma que dentro do contexto da pandemia, são grande as dificuldades dos pescadores, sobretudo dos pescadores artesanais. “Muitos dos pescadores perderam seus empregos e estão com dificuldades de manter suas embarcações.  Praticamente estão à deriva. Algo parecido como quando vem uma tempestade e leva o barco de seu pescador. Não existe nenhum programa governamental para apoiá-los”, disse. O padre informa que a Stella Maris de Santos está ajudando, com cestas básicas, 150 famílias por quatro meses.

Mensagem de entusiasmo

Sobre a mensagem do cardeal Turkson, cuja íntegra pode ser acessada no link abaixo, para o Domingo do Mar 2020, padre Samuel afirma que trata-se de uma mensagem de fé, de esperança, ânimo, entusiasmo e conforto para os marítimos, pescadores e suas famílias. Dois aspectos importantes constam da mensagem, segundo o diretor nacional do Apostolado do Mar. O primeiro é o anúncio da transferência da celebração do centenário do Apostolado do Mar para 2021 em função da pandemia. A celebração seria este ano, em Glasgow, na Escócia.

A segunda é o contexto da pandemia. Neste aspecto o padre informa que 90% dos produtos importados pelo Brasil circulam pelo mar e que existem tripulações que chegam a mais de 20 pessoas de diferentes lugares que vivem e moram na embarcação e não podem sair dos barcos porque muitos portos estão fechados. Pelos cálculos, segundo informa, existem mais de 100 mil marinheiros esperando ser repatriados a seus países em todo mundo.

A mensagem do Domingo do Mar pede para olharmos o nosso país e percebermos o que está acontecendo nas áreas portuárias e  também fala do trabalho e a missão do Apostolado do Mar neste contexto. “Desafio a Igreja no Brasil a se aproximar e conhecer a realidade das pessoas que vivem do mar”, disse o padre reforçando ainda um trecho da mensagem do Dicastério que diz aos trabalhadores do mar que ninguém os abandonará. O diretor nacional do Apostolado reforça ainda o convite à Igreja no Brasil para se envolver nas celebrações do Centenário do Apostolado do Mar.

Conheça a íntegra da Mensagem do Domingo do Mar aqui.

 

Tags:

leia também