Com nova formação, CONSEP se encontrou em 2019 para fortalecer a pastoral orgânica

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
|

Em 2019, o Conselho Pastoral (CONSEP) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), após sua nova formação para a gestão do quadriênio 2019-2023, se encontrou em três ocasiões nos meses de maio, agosto e setembro. Em junho e novembro aconteceram as reuniões do Conselho Permanente.

Segundo o estatuto da entidade, cabe ao Conselho, constituído pela presidência da CNBB e os bispos que presidem as Comissões Episcopais Pastorais, promover a pastoral orgânica da Igreja, em âmbito nacional, e também operar como um órgão executivo das decisões pastorais da Assembleia Geral e do Conselho Permanente.

Também participam das reuniões do Conselho Pastoral os representantes dos chamados Organismos do Povo de Deus – que representam os presbíteros, diáconos, os leigos, os religiosos, os institutos seculares, além dos organismos vinculados. Veja a seguir os principais encaminhamentos de cada reunião.

27 a 29 de maio
Foi o primeiro encontro do colegiado com a nova formação, uma vez que a Presidência e os presidentes das Comissões Episcopais Pastorais foram eleitos durante a 57ª Assembleia Geral da entidade, no início deste mês. Nesta reunião, os bispos analisaram a conjuntura social brasileira, deliberaram sobre o calendário de reuniões do ano e encaminharam questões relativas as Campanhas da Fraternidade, ao Plano Quadrienal e as Comissões Episcopais Pastorais.

Os bispos também aprovaram as últimas atas da Assembleia Geral. O Conselho Pastoral retomou a discussão sobre as atribuições das Comissões Pastorais e a proposição do número de bispos e assessores para cada uma, apresentadas na reunião do Conselho Permanente, em junho.

20 a 21 de agosto
As diretrizes gerais da ação evangelizadora da Igreja no Brasil para o quadriênio 2019-2023 estiveram no centro das reflexões, debates e encaminhamentos dos participantes do Conselho Episcopal Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nesta segunda com a nova formação.

O bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella, aprofundou as ideias centrais das novas diretrizes, como a reflexão em torno das comunidades eclesiais missionárias. O secretário-geral reforçou as ideias que sustentam o modelo das comunidades eclesiais missionárias, horizonte a ser buscado segundo as novas diretrizes.

As Comissões Episcopais Pastorais da CNBB foram provocadas, pelo secretário-geral, a refletir sobre quais os encaminhamentos práticos e como adaptar as diretrizes para o seu campo específico de ação por meio da elaboração de um plano quadrienal com objetivos, estratégias, prazos e recursos.

O cartaz da Campanha da Fraternidade de 2020, cujo tema será “Fraternidade e vida: dom e compromisso” foi aprovado no segundo dia da reunião. Os bispos também deliberaram sobre o texto-base e as propostas para a letra do hino da campanha. Novos assessores que estarão a serviço das 12 Comissões Episcopais Pastorais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil se foram apresentados.

17 e 18 de setembro
Reflexões e debates em torno da realização em outubro, no Vaticano, do Sínodo da região Pan-Amazônica ocuparam parte da pauta do primeiro dia de reunião. Outro assunto que também mereceu destaque e sugestões dos bispos e assessores que integram o Consep foi o tema da 58º Assembleia Geral da CNBB a se realizar em 2020. Uma pergunta orientou as reflexões do grupo: quais os desafios hoje para que a palavra de Deus seja o fundamento da vida das comunidades eclesiais missionárias?

Sobre o tema, o arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, ressaltou que a ideia é produzir um documento não muito extenso, mas orientações para efetivar a centralidade da Bíblia e que aponte para uma verdadeira “cultura” da Palavra de Deus na vida comunitária.

As ideias e preocupações iniciais para a nova política de comunicação da CNBB para o quadriênio da nova gestão também foram alvo de debate entre os participantes do Consep. As reflexões foram motivadas pela Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil por meio de seu presidente, o bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG), dom Joaquim Mol, do padre Tiago Silva, assessor da Comissão e de Manuela de Oliveira Castro, nova assessora de Comunicação da entidade.

Tags:

leia também