CNBB acolhe e apoia o fortalecimento da articulação da Rede Clamor no Brasil

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Refugiados AL

Foi realizada hoje, 26 de junho, uma reunião virtual com diversas entidades, serviços, pastorais e obras da Igreja Católica no Brasil  com o objetivo de fortalecer, no país, a articulação da “Rede Clamor”, ou Rede Latino-americana e do Caribe para a Pastoral de Migrantes, Refugiados e vítimas do tráfico. A articulação surgiu em 2016 com o apoio do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) por meio de seu Departamento Justiça e Solidariedade (DEJUSOL).

Segundo o bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, trata-se de uma iniciativa que conta com o apoio da Conferência e visa fortalecer a união e a articulação dos serviços que atuam junto à pessoas e grupos que são forçadas a abandonar suas raízes, migrar para outras localidades e se refugiar em outro locais e países, muitos até mesmo em situação de tráfico humano. Na Igreja no Brasil, segundo levantamento inicial dos participantes, estima-se que existam mais de 100 obras e serviços que atuam nessa causa.

Dom Joel informa que o primeiro passo acordado para fortalecer a articulação é a formalização de um convênio entre a CNBB e as entidades que atuam nessa frente no país. A Rede Clamor ficará vinculada ao trabalho que realiza a Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sociotransformadora da CNBB.

Sete ações integram o trabalho que buscará fortalecer a Rede Clamor no Brasil: 1) Partilhar as diferentes experiências no trabalho com migrantes, refugiados e tráfico humano; 2) Formar agentes de pastoral na Igreja no Brasil; 3) Produzir subsídios; 4) Desenvolver campanhas de mobilização e conscientização sobre o tema; 5) Estimular ações concretas que visam defender as pessoas forçadas à migração, refúgio e ao tráfico humano; 6) Celebrar as datas significativas; e 7) Mapear os serviços e obras, especialmente os da Igreja Católica no país, que atuam na área.

Duas datas mobilizarão a Rede Clamor no Brasil no segundo semestre deste ano: Dia Nacional do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, celebrado no próximo 30 de julho, e a 106ª Jornada Mundial do Migrante e Refugiado, em setembro.

Ao acolher a articulação da Rede Clamor no Brasil, o secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella, faz coro às palavras do Papa Francisco, na homilia da celebração de Corpus Christi deste ano: “É necessário urgência no cuidado daqueles que têm fome de comida e dignidade, daqueles que não têm emprego e lutam para avançar. E fazendo-o concretamente”.

Do Brasil, participaram da reunião o secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, representantes da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sociotransformadora da CNBB,  do Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM), da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), da Cáritas Brasileira, do Serviço Jesuíta para Migrantes e Refugiados (SJMR), do Instituído Migração e Direitos Humanos (IMDH) e padres e religiosas Scalabrianos.

 

Tags:

leia também