CF 2010 – Fraternidade e Economia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

No dia 10 de setembro de 209, foi lançada a Campanha da Fraternidade de 2010, que será conduzida de forma muito particular, já que é uma Campanha Ecumênica, envolvendo as Igrejas Cristãs que participam do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC).

O tema escolhido para este ano é “Fraternidade e Economia”.

O lema proposto é o seguinte: “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”.

Há um objetivo geral para esta Campanha, expresso no Texto Base: “Colaborar na promoção de uma economia a serviço da vida, fundamentada no ideal da cultura da paz, a partir do esforço conjunto das Igrejas Cristãs e de pessoas de boa vontade, para que todos contribuam na construção do bem comum em vista de uma sociedade sem exclusão”.

Assim, a intenção subjacente a esta Campanha é a de unir as os cristãos das diversas Igrejas e Comunidades, além de todas as forças positivas que atuam na sociedade brasileira, bem como as pessoas de boa vontade, na busca de uma sociedade que promova uma autêntica economia que esteja a serviço da vida, criando uma mentalidade de solidariedade e de respeito, que produzirá os fundamentos humanos para a verdadeira paz.

A CF também visa ajudar toda a sociedade brasileira a reconhecer os verdadeiros problemas que causam a exclusão social e a miséria, que impedem as pessoas a terem “vida plena”, segundo os critérios do Evangelho.

Não é suficiente pensar em um país que cultive uma eficácia econômica. É preciso mais…: é necessário combinar a eficácia econômica com justiça social, promovendo um autêntico desenvolvimento humano, econômico, social, cultural e espiritual.

A CF deste ano ensina-nos que a economia existe para a pessoa e para o bem comum da sociedade. A economia está a serviço do ser humano, e não o contrário. Ou seja, o ensinamento de Nosso Senhor, no Evangelho de São Mateus: “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6,24) são uma proposta de escolha. É preciso escolher entre os valores do reino de Deus e a escravidão do dinheiro, que para muitos, é um valor absoluto, orientador da vida.

Os bens materiais são necessários para a vida, mas não podem ser colocados como absoluto. O dinheiro deve ser usado para servir o bem comum de todos, e não para o uso egoísta, pior ainda, para prejudicar e destruir a vida humana e os bens da natureza.

A CF deste ano insiste que a economia tem também uma função ética, ou seja, deve produzir reais condições de crescimento e de progresso para todos, visando especialmente os mais pobres.

Dom Antonio Carlos Rossi Keller

Tags:

leia também