O Relatório aponta que, em 2019, houve o registro de 256 casos de “invasões possessórias, exploração ilegal de recursos e danos ao patrimônio” em pelo menos 151 terras indígenas, de 143 povos, em 23 estados. No ano passado houve um aumento de 134,9% nos casos relacionados às invasões, em comparação com os registrados em 2018
Os dados do Relatório do Cimi são sistematizados em três capítulos principais que, organizados em 19 categorias, oferecem um retrato bastante significativo das diversas formas de violências praticadas contra os povos indígenas em todo o país
Ao responsabilizar povos indígenas por queimadas, em seu discurso na abertura da 75ª Assembleia da ONU, o presidente Jair Bolsonaro demonstra má-fé, preconceito e irresponsabilidade perante outras nações
Segundo o CIMI, o julgamento, ainda sem data, é importante uma vez que terá consequências para todos os povos indígenas do Brasil
Discussão ocorre nesta quinta-feira, 9 de julho, às 16h, na página no Facebook e pelo canal no Youtube do Conselho Indigenista Missionário
Em Nota, o Conselho Indigenista Missionário aponta uma discrepância entre os dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena e os dados coletados pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil até o dia 14 de junho
Publicada na quarta-feira, 6, a nota é assinada por entidades e organizações indígenas, indigenistas, socioambientais e de direitos humanos
"O governo Bolsonaro dá evidentes sinais de abandono à perspectiva técnico-científica, do respeito ao direito de existência livre desses povos, com seus próprios usos, costumes, crenças e tradições", diz o texto
Crimes têm acontecido na esteira de discursos racistas e ações ditadas pelo governo federal, como o incentivo a invasões às terras indígenas, diz CIMI

Você também pode gostar